País do Tseke – Nini Satar

Cerveja de Tseke
Este país é definitivamente um bom exemplo. O seu Governo anda muito bem humorado. Até formou uma equipa de futebol. Chama-se Futebol Clube Tseke. Essa coisa de dívidas ocultas, crise financeira, pronunciamentos de Luísa Diogo de que 2017 será o pior ano ou os do ministro da Economia e Finanças, Adriano Maleiane, de que as coisas ainda vão ser amargas, é conversa para boi dormir. O Governo está numa wella. Até estica-se jogando futebol. Desporto é saúde. E de certeza o Governo tem tanta saúde. Está a tsekar aos moçambicanos!
 
E Moçambique não é um país pobre. Possui inúmeras riquezas, nomeadamente madeira para oferecer aos chineses primos do José Pacheco, gás natural, há prospecção do petróleo na bacia do Rovuma, as esmeraldas moçambicanas são vendidas em grandes leilões pelo mundo fora, o atum abunda por isso que criamos a preguiçosa empresa Ematum, a lagosta e o camarão servimos aos estrangeiros quando chegam, porque os moçambicanos só querem Tseke.
Paratsekemol
O Governo convocou uma reunião do Conselho de Ministros só para falar do Tseke, este alimento é muito importante mesmo! Em todo lado que se anda é só Tseke. Tseke para ali, Tseke para acolá. O Governo diz que, definitivamente, descobriu o melhor alimento para o povo: Tseke!
Os maiores fabricantes mundiais disto e daquilo, também não fugiram à regra. Roubaram-nos o nosso Tseke. A multinacional Coca-Cola tem uma Fanta Tseke, a Cerelac correu a produzir o seu Tsekelac, as sorveteiras tem o saboroso sorvete de marca Tseke, também já existe o Paratsekemol, adeus dores de cabeça. Para os bêbados há o Tseke Beer. Os que não bebem também são incluídos: tem o seu sumo de marca Tseke.
Como podem ver, a ideia de promover a produção do Tseke em maior escala já não é só do Governo moçambicano. É do mundo inteiro. Ou seja, o mundo já foi tsekado graças ao Governo de Moçambique. E ainda há críticos para este Governo….
Nós somos muito famosos. Se Donald Trump quer estabelecer a nova ordem mundial, nós também não podemos ficar atrás. Temos que tsekar o mundo. Até ouvi por ai que se estão a preparar máquinas potentes. Vão ser superiores que uma Lamborghini. A marca será Tseke.
Sorvete de Tseke
O Hotel Polana, Rodízio Real e a doçaria Taverna passam, a partir de Abril deste ano, a servir alimentos Tseke. Quem ainda duvida que o Governo moçambicano é dos melhores? Na campanha eleitoral para as presidenciais havia um slogan: “Eu sou Nyusi”. Agora há-de haver outro e mandar-se-á fabricar camisetas: “Eu sou Tseke”.
Tseke…Tseke…Tseke…Tseke: quem te conhece, não te esquece jamais!!!!
Nini Satar

 

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.